Agile Brazil 2017, na prática

Com alguns percalços, falta de apoio de empresas dos setores público e privado, momento de crise político-econômica, a AB17 foi entregue, Deus quis! Para quem participou da organização sabe que não foi nada fácil, na verdade nunca é. Quem subiu naquele palco, no encerramento do evento, os aplausos foram mais que merecidos.

Já se vão dez anos de Tá Safo!, um grupo criado por uma grande mulher e professora e que hoje agrega tanta gente boa. Costumo dizer que apenas juntamos pessoas, tudo ocorre de maneira orgânica e empírica na realização de nossos eventos. Cada membro da organização da AB17, com sua ponta de contribuição, fez com que o evento fosse realizado. Já trouxemos vários eventos de fora, mas a AB17 exigiu mais.

Continuar lendo

Anúncios

Sou!

Sou do açaí, sou do cupuaçú
Sou do tucupí, sou do jambú

Sou branca, sou preto
Sou amarela, sou vermelho

Sou homem, sou mulher
Sou do gênero que eu quiser

Sou do calor, sou do frio
Sou do asfalto, sou do rio

Sou da feira imunda
Sou da chuva que refresca e inunda

Acriano, alagoano, amapaense
Amazonense, baiano, cearense

Capixaba, goiano, maranhense
Mato-grossense, mineiro, sul-mato-grossense

Paraense, paraibano, paranaense
Piauiense, pernambucano, fluminense

Potiguar, gaúcho, brasiliense
Roraimense, paulista, catarinense

Tocantinense, sergipano, rondoniano
Sou americano!

Não importa onde nasci, não importa de onde eu vim
Sou de Belém, sou do Pará, sou do Brasil!

Inspirado nas amizades que mantenho e faço
Com grande amor pelo nosso querido Tá safo!

Foi o meu olhar, a minha leitura de três dias intensos da Agile Brazil 2017

Utilizando o Open Street Map em seus projetos

Em capítulos anteriores, falei um pouco do uso de aplicações fora do mainstream. Tem um danado que preciso falar um pouco mais, o Open Street Map (OSM). Já tinha ouvido falar de várias incursões do povo para mapear locais à pé, de bicicleta e barco para alimentá-lo. É uma plataforma robusta e séria para websites, aplicativos móveis e dispositivos de hardware, apoiada por instituições e empresas ao redor do mundo. Exemplos grandes de uso são Apple e Flikr e o aplicativo de mobilidade urbana Moovit. O @willianpaixao me deu o papo que o Uber utiliza o serviço como data provider.

Continuar lendo

#horaextra especial de 10 anos do Tá safo!

Olá, pessoal!

Acho que nunca comemoramos o aniversário do Tá safo!. Ele apareceu oficialmente dia 17 de Abril de 2007 na Semana Acadêmica do IESAM (Belém – Pará). A data que se aproxima dos 10 anos da comunidade será em uma segunda-feira, que combina perfeitamente com uma http://horaextra.org/ :), movimento utilizado pela mesma galera que criou os valores que buscamos seguir: http://smallactsmanifesto.org/.

Então, surgiu a ideia de, em cada localidade que desejar, o povo se reunir, a qualquer hora, em algum restaurante, bar, lanchonete, em casa e publicar textos ou fotos para comemorar os nossos 10 anos de existência, compartilhando nas mídias sociais  textos e fotos com a hashtag #tasafo10anos.

Tá feito o convite! Tá safo!? 🙂

transformAÇÃO na EETEPA Icoaraci

Em 2010, realizamos um #tasafoemacao na Escola de Ensino Técnico do Estado do Pará (EETEPA) de Icoaraci, que oferta os cursos de Informática, Suporte e manutenção, Design de interiores e Hospedagem, onde Fábio e Jaime foram nos representar. Pelo relato, deve ter sido “duka” mesmo. E no dia 27 de Agosto de 2016, tive a satisfação de representar o Tá safo! para uma ação, em conjunto, chamada I FISOL 2016, articulada pelo Marcelo Sá, da Jambu Tecnologia, Ézyo Lamarca do Linux Pai D’Égua e Raimundo Xavier do projeto LibreOffice.

Continuar lendo

script as a service

Acho que foi com o rvm.io que tive o primeiro contato com script como serviço. Mas foi instalando e configurando o GitLab “trocentas” vezes, que me levou a evoluir os tutorias de instalação de ferramentas que usamos no trabalho para algo mais prático que ctrl+c e ctrl+v intermináveis, fora o risco de esquecer de executar alguma linha do roteiro e levar o processo pro “beleléu”. Com o ensinamento de um velho camarada onde ele diz que nossos scripts devem virar programas, usei a filosofia do seja burro e preguiçoso mais uma vez.

Continuar lendo